terça-feira, 27 de março de 2012

Depravada




O homem depravado cava o mal, e nos seus lábios há como que fogo ardente. Prov. 16:27.



O texto de hoje descreve justamente esse tipo de pessoas. “O homem depravado cava o mal”, diz o verso. A palavra “depravada”, literalmente descreve algo estragado, que perdeu seu valor e só serve para ser jogado no lixo. Expressa profunda degradação moral.

Como chega um ser humano ao terreno da depravação? Começa com a tolice. O tolo segue o caminho do mal por curiosidade. É uma espécie de aventura que lhe produz fascínio. Quando uma pessoa insiste nesse tipo de caminho perigoso, cai no terreno do cinismo. O cínico percebe o perigo da estrada em que transita, mas não lhe dá importância, endurece seu coração e chama ao mal, bem. Finalmente, mais cedo ou mais tarde, o cínico cai no abismo da depravação.

A depravação não tem limites. É um abismo sem fundo. Sempre oferece sensações mais fortes, não fica satisfeito com nada. Se você acha que já viu ou já ouviu as cenas mais depravadas, ainda está no meio do caminho. A mente depravada é capaz de imaginar coisas que dificilmente subiriam à mente dos mais hábeis roteiristas de Hollywood.

Existe esperança de recuperação para o depravado? As boas-novas do evangelho dizem que sim. No momento em que o mais perverso dos seres humanos responde ao chamado do Espírito e aceita a graça transformadora de Cristo, acontece o milagre do novo nascimento. Tudo que passou fica apagado pelo perdão gratuito de Jesus, e a pessoa recebe uma página em branco para escrever uma nova história. Deus nunca consulta o passado para ajudá-lo a construir o futuro.

Que este novo dia seja para você um dia de vitória. Grandes vitórias são o resultado de pequenas vitórias. Vença com Jesus apenas a batalha deste dia. Deixe o amanhã nas mãos de Deus e lembre-se: “O homem depravado cava o mal, e nos seus lábios há como que fogo ardente.”

0 comentários:

Postar um comentário