domingo, 3 de maio de 2015

Raciocínio Emocional







O raciocínio emocional é uma forma de distorção funciona assim: sinto-me fracassado, logo sou um fracasso; sinto-me sobrecarregado e, portanto, é impossível resolver meus problemas; sinto-me como se estivesse no topo do mundo, logo sou invencível; estou bravo com você e isso prova que você tem sido cruel e insensível comigo. 
Tal raciocínio emocional costuma resulta em um ciclo vicioso.
Salomão escreveu, no livro bíblico de Eclesiastes: "Eu disse a mim mesmo: Venha. Experimente a alegria. Descubra as coisas boas da vida! Mas isso também se revelou inútil. [...] Não me neguei nada que meus olhos desejaram; não me recusei a dar prazer algum ao meu coração." (Eclesiastes: 2:1,10)
Salomão dizia: "Se alguém está se divertindo, quero fazer o que essa pessoa faz ... O interessante é que, embora tenhamos hoje muito mais "coisas divertidas" para fazer do que nunca, a depressão é uma epidemia na realidade.
Logo se as coisas prazerosas conseguissem prevenir ou curar a depressão, deveríamos ver o menor
 índice de depressão. Contudo não é o caso.
A maioria das "coisas divertidas" que as pessoas fazem hoje causa um pico no nível de dopamina no cérebro, criando uma sensação de prazer, mas que resulta em uma queda radical subsequente para uma qualidade bem inferior à normal. Além disso, quanto mais praticamos tais coisas, menor o pico. Depois de algum tempo, o vício preferido praticamente não nos tira de uma sensação neutra. Nesse meio tempo, somos tomados por uma sensação profunda e avassaladora de tristeza.
Salomão também escreveu: "Por isso desprezei a vida [...] Tudo era inútil, era correr atrás do vento [...] Cheguei ao ponto de me desesperar por todo o trabalho no qual tanto me esforcei debaixo do sol." (versos 17,20).
Ele tinha muito dinheiro, as mais belas casas, os mais lindos jardins, além das mais atraentes mulheres. Seus contemporâneos pensavam que ele deveria ser a pessoa mais feliz do mundo. No entanto, sua autogratificação egoísta não lhe trouxe felicidade.
"Por sua própria amarga experiência, Salomão conheceu o vazio de uma vida que busca nas coisas terrenas seu mais alto bem."
Por fim Salomão mudou de vida. E, se a vida dele de dissipação pôde ser transformada, há esperança para cada um de nós!
Jonatan Martensson indica uma solução para o raciocínio emocional. Ele constata: " As emoções se parecem muito com as ondas. Não podemos impedi-las de vir, mas podemos escolher em qual surfar."
E podemos selecioná-las com base naquilo que é verdadeiro e está em harmonia com o plano de Deus para nossa vida. 


0 comentários:

Postar um comentário